11 fatos que “De Volta para o Futuro” jamais iria prever sobre o futebol

Fala pessoal! Hoje é dia 21 de outubro de 2015, data em que quando Marty McFly e Doc Brown chegam ao futuro em “De Volta para o Futuro 2”.

Confira na íntegra uma lista que o UOL Esportes preparou (link original AQUI): 11 fatos que “De Volta para o Futuro” jamais iria prever sobre o futebol

– 40 mil pessoas ser considerado um bom público (Até o começo dos anos 90, públicos de mais de 100 mil pessoas não eram incomuns no Brasil).

– Ingressos que custam fortunas (Nos anos 80, a elitização dos estádios seria algo impensável).

– O Corinthians prestes a ser hexa brasileiro. E com estádio próprio. (Em 89, o sonho do estádio ainda estava longe e o clube sequer havia conquistado seu primeiro Brasileiro)

– Romário como senador (Em 89, Romário era a esperança da seleção brasileira para a Copa de 90. Ninguém o imaginaria de terno e gravata em Brasília).

– Um presidente da CBF preso (Ricardo Teixeira assumiu a CBF em 89. Provavelmente, não imaginou que seu sucessor terminaria no xilindró)

– A seleção brasileira com dificuldades em achar atacantes (Em 89, o Brasil tinha opções como Romário, Bebeto, Careca e Muller. Na foto, Romário disputa bola em jogo contra o Paraguai).

– Carlos Miguel Aidar renunciando por escândalos de corrupção (Entre 1984 e 1988, Aidar foi um respeitado e vanguardista presidente do São Paulo)

– Eurico Miranda ainda estar no comando do Vasco (Em 89, Eurico era vice-presidente de futebol e já estava envolvido com a política do clube desde 67).

– O Vasco lutando para não cair pela terceira vez (Adivinha quem foi o campeão brasileiro de 1989?)

– Jogadores brasileiros atuando na China e na Índia (Naquela época, imaginar que esses países seriam capazes de “roubar” jogadores dos times brasileiros seria o cúmulo do pessimismo. Hoje, atletas em grande fase como Ricardo Goulart não resistem aos milhões oferecidos pelos chineses).

– O Brasil levar de 7 a 1 em uma semifinal de Copa do Mundo. Em casa. (E olha que tinha quem reclamasse da seleção em 89).

E aí! Lembraram de mais alguma coisa que Marty McFly não teria como prever no futebol atual?